IMPACTO DA DIETA DO MEDITERRÂNEO NA DOENÇA DE ALZHEIMER

  • Juliana Ribeiro Nogueira Leite Centro Universitário Redentor
  • Laura Vasconcelos Rangel Gomes Centro Universitário Redentor
  • Vagner Rocha Simonin de Souza Centro Universitário Redentor

Resumo

O envelhecimento populacional e suas consequências geradas, são inquestionáveis. Os distúrbios neurodegenerativos estão cada vez mais presentes na velhice de forma progressiva. Apesar de diversas evidências, os estudos são complexos e inconclusivos quando se trata de diagnósticos e tratamento, sendo assim, esta revisão literária é de grande necessidade, trazendo informações de artigos científicos e livros relacionados ao tema para que essa patologia crescente seja melhor tratada. Espera-se que o relato desta revisão mostre como a dieta do mediterrâneo vem sendo estudada e compreendida como uma possível estratégia eficaz na doença de Alzheimer, através do seu papel antioxidante, neuro protetor e na sua influência na diminuição de proteína c reativa e interleucinas que estão diretamente ligadas a processos inflamatórios que afetam principalmente os pacientes com doenças neurodegenerativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Ribeiro Nogueira Leite, Centro Universitário Redentor

Graduanda em Nutrição

Laura Vasconcelos Rangel Gomes, Centro Universitário Redentor

Nutricionista - especialista na área Nutrição Hospitalar aplicada a UTI

Preceptora de estágios do Curso de Nutrição do Centro Universitério Redentor

Vagner Rocha Simonin de Souza, Centro Universitário Redentor

Nutricionista - Doutor em Química Biológica

Coordenador do Curso de Nutrição do Centro Universitário Redentor

Publicado
2021-11-12
Como Citar
LeiteJ., GomesL., & SouzaV. (2021). IMPACTO DA DIETA DO MEDITERRÂNEO NA DOENÇA DE ALZHEIMER. Revista Interdisciplinar Pensamento Científico, 6(3). Recuperado de http://reinpeconline.com.br/index.php/reinpec/article/view/745
Seção
Articles