A COMPLEXIDADE NA PREVENÇÃO DA SÍNDROME METABÓLICA: UMA QUESTÃO DE SAÚDE COLETIVA

  • Victória de Almeida Carrara UniRedentor
  • Ana Carolina da Costa Reis
  • Isabelle Doffiny Mothé
  • André Almeida Barbosa
  • Paulo Cavalcante Apratto Júnior

Resumo

A síndrome metabólica (SM) configura uma combinação de fatores de risco de doenças cardiovasculares que normalmente possui correlação à obesidade abdominal e a resistência à insulina. O Brasil e outros países em desenvolvimento nas últimas décadas teve seu quadro epidemiológico alterado, o que significa que as doenças crônico-degenerativas estão diretamente ligadas ao crescimento da morbimortalidade. Os fatores de risco envolvidos na SM são de extrema importância ao se falar da alta taxa de morbimortalidade da população relacionada às doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT). Tal síndrome demanda íntimo envolvimento da saúde coletiva, a fim de prevenir doenças provenientes dos fatores de risco da SM, dando ênfase à adoção de um estilo de vida que mantenha a boa saúde, melhore a qualidade de vida, incluindo os tratamentos não-farmacológicos e farmacológico, quando necessário, na busca desse controle dos parâmetros metabólicos, oferecendo bem-estar ao paciente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-12
Como Citar
CarraraV., da Costa ReisA. C., MothéI., BarbosaA., & Apratto JúniorP. (2021). A COMPLEXIDADE NA PREVENÇÃO DA SÍNDROME METABÓLICA: UMA QUESTÃO DE SAÚDE COLETIVA. Revista Interdisciplinar Pensamento Científico, 6(3). Recuperado de http://reinpeconline.com.br/index.php/reinpec/article/view/746
Seção
Articles